• Tratamento técnico e disponibilização do acervo iconográfico e documental do Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás

    O projeto tem como meta principal organizar e disponibilizar a especialistas e comunidades interessadas parte do acervo documental do Museu Antropológico. Espera ainda a integração entre o Museu e a área acadêmica, possibilitando aos alunos da graduação, especialmente da área da Museologia, a aplicação prática dos conhecimentos apreendidos em sala de aula.

  • Apresentação

    O Museu Antropológico (MA) da Universidade Federal de Goiás (UFG) foi criado por iniciativa de professores do então Departamento de Antropologia e Sociologia (DAS) da UFG, vinculado ao antigo Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), atual Faculdade de Ciências Sociais (FCS). O acervo da primeira coleção etnográfica do Museu decorre de uma viagem de estudos ao Parque Indígena do Xingu. O grupo de professores participantes  sugere um plano de pesquisa com o objetivo de estudar as populações do Xingu e criar um museu antropológico na UFG. Esse espaço cultural foi proposto para salvaguardar a cultura material indígena da Região Centro-Oeste do Brasil. Com essa perspectiva, o Museu Antropológico da UFG foi criado em junho de 1969, sendo inaugurado em 05 de setembro de 1970.

    Vinculado à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), o MA é um órgão suplementar da UFG, e tem em seu caráter dinâmico e pedagógico, suas principais características, e se destina à preservação, pesquisa e comunicação de seu acervo. Atualmente o Museu Antropológico (MA) da Universidade Federal de Goiás (UFG) tem por objetivo fundamental apoiar e desenvolver a pesquisa antropológica interdisciplinar e a organização do acervo resultante dessas pesquisas, que focaliza o modo de vida do homem na Região central do Brasil, suas manifestações culturais e suas múltiplas identidades. Desse objetivo decorrem ações de preservação (inventário, documentação, conservação e segurança do acervo sob sua responsabilidade), de pesquisa (projetos voltados para as áreas cobertas por sua atuação), e de comunicação (divulgação do conhecimento científico produzido pelo Museu, realização de exposições de longa duração, temporárias e itinerantes e desenvolvimento de ações educativo-culturais voltadas para as diversas camadas da sociedade).

     O Museu Antropológico ao longo dos seus 40 anos desenvolveu vários projetos de pesquisa e extensão junto aos povos indígenas e a outras comunidades regionais, de onde se origina grande parte do seu acervo.

    Nos últimos anos as pesquisas realizadas pelo Museu Antropológico da UFG ou com seu apoio vem enfatizando também os aspectos culturais imateriais dos povos, comunidades e grupos sociais da região Centro-Oeste. E desde a concepção da exposição Lavras e Louvores, atual exposição de longa duração, vem retomando a vocação inicial de estímulo e divulgação das manifestações da cultura popular, procurando suprir algumas lacunas existentes nessa área. Nesse sentido, a ênfase deste projeto será o acervo reunido a partir dos estudos feitos pelo Centro de Estudos da Cultura Popular (CECUP), criado em 1980, por um grupo de professores de diferentes departamentos da Universidade Federal de Goiás, interessados em estudos de temas da cultura popular.  Esses estudos geraram alguns produtos em forma de publicações dos resultados das pesquisas, além de uma grande quantidade de documentos etnográficos, produzidos entre os anos de 1980 e 1983. Em 1990 o CECUP foi extinto e o seu acervo transferido para o Museu Antropológico.

    Em termos quantitativos, o acervo a ser trabalhado compõe-se de aproximadamente 90 fitas cassete (aproximadamente 90 horas de gravação), 1.575 imagens fotográficas, 1080 imagens em negativos, 498 slides e 125 itens diversos, entre documentos, anotações, postais e desenhos.

    Observe-se ainda que o tratamento dessa massa documental composta de quase 3.400 itens e relativa às manifestações culturais representativas da região Centro-Oeste, cujos registros mais antigos remontam à década de 1940, vai permitir o acesso aos referenciais da história, de memória e de identidade das expressões tradicionais da cultura brasileira.

    O projeto em questão propõe o tratamento técnico e disponibilização ao público de parte do acervo documental sob a guarda do MA, compreendendo a sua higienização, reacondicionamento e documentação.  Ao final do trabalho, dar a conhecer ao público em geral tanto o acervo quanto as informações ali reunidas, sob a forma de uma exposição temporária a ser concebida com a participação de professores e alunos do bacharelado em Museologia da UFG, já que o Museu Antropológico se propõe a funcionar como uma espécie de laboratório para os estudantes da Faculdade de Ciências Sociais.

  • Coordenador de pesquisas

    Profa. Dra. Vânia Dolores Estevam de Oliveira

    Possui graduação em Museologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, mestrado e doutorado em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Atualmente é professor adjunto I do curso de Museologia da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás, docente colaborador em oficinas promovidas pelo Instituto Brasileiro de Museus e coordenadora de Estudos da Rede de Educadores em Museus de Goiás. Tem experiência na área de Museologia, com ênfase na pesquisa e documentação museológica. Tem interesse especial nos seguintes temas: museologia, memória social, patrimõnio cultural e cultura popular.

    Currículo lattes:  http://lattes.cnpq.br/1883361659918132

    Profa. Dra. Vera Regina Barbuy Wilhelm

    Doutora em Historia e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Docente do Curso de Bacharelado em Museologia da Universidade Federal de Goiás. Graduada em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Mackenzie, possui Especialização em Museologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, Especialização em Conservação de Pinturas Murais pelo ICCROM (International Centre for the Study of the Preservation and Restoration of Cultural Property), Especialização em Conservação e Restauro de Bens Culturais Móveis pelo CECOR Centro de Conservação e Restauração da Escola de Belas Artes da EBA/UFMG. Tem experiência na área de preservação do Patrimônio Cultural com ênfase em Artes, Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis e Integrados, Arte moderna e contemporânea, Arte Mural e Conservação Preventiva de Acervos Museológicos.

    Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8341264427082227

  • Integrantes

    Pesquisadores:

    Profa. Dra. Nei Clara de Lima – Lattes: http://lattes.cnpq.br/5733558150464266

    Profa. Dra. Rosani Moreira Leitão – Lattes: http://lattes.cnpq.br/1983245441436723

    Gustavo Oliveira Araújo – historiador – Lattes: http://lattes.cnpq.br/0689814076844106

     

    Projeto Expográfico:

    Michel Platini Fernandes da Silva – Lattes: http://lattes.cnpq.br/7839162366167544

     

    Estagiários:

    Elizabeth Martins Sandoval Silva

    George Bruno Machado Leão – Lattes: http://lattes.cnpq.br/9578520804934664

    Luciano Costa Jucá – Lattes: http://lattes.cnpq.br/2369732620226334

    Mariana de Paula Batista – Lattes: http://lattes.cnpq.br/5706436970175752

    Werydianna Priscila de Almeida Marques

  • Vínculos

    • Bacharelado em Museologia/Faculdade de Ciências Sociais – UFG
    • Museu Antropológico – UFG
    • Universidade Federal de Goiás

    Apoio:

  • Produções

    Nenhuma produção encontrada para este projeto.

  • Patrocínio

  • Galeria de imagens